Novo Chevrolet Celta 2012

Desempenho – O Chevrolet Celta teve seu exterior e interior renovados na linha 2012. Mesmo assim, seu grande destaque segue sendo motor 1,0L Flexpower VHCE. Esta unidade de força de 77/78 cv garante acelerações eficientes e boas retomadas. Facilita a vida do propulsor o baixo peso do veículo: são apenas 890 kg na versão quatro portas. O compacto cumpriu o zero a 100 km/h em razoáveis 14,1 segundos. No entanto, depois dos 100 km/h, o Celta perde o fôlego e o motorista precisa ter paciência. A máxima, segundo a Chevrolet, é de razoáveis 161 km/h quando abastecido com etanol, velocidade condizente com a proposta urbana do carrinho.

Estabilidade – Com 11 anos de mercado, o Celta é um carro já acertado. Na hora de encarar curvas fechadas em alta velocidade, o modelo até que se sai bem. A carroceria torce pouco e não faz menção de rolar. Nas freadas bruscas, o hatch tende a sair da trajetória e a traseira levanta um pouco. Nas retas, a comunicação entre rodas e volante começa a ficar instável a partir de 120 km/h.

Interatividade – A ergonomia nunca foi o forte do Celta. O modelo não oferece ajuste de altura para o banco do motorista nem qualquer ajuste para o volante. O resultado é que o motorista sofre para encontrar uma posição agradável para dirigir. O pouco espaço para os passageiros na dianteira pelo menos provoca um efeito colateral positivo. Todos os comandos estão ao alcance do motorista. A visibilidade dianteira é apenas boa e a traseira e lateral são prejudicadas pelo pequeno vidro traseiro e pelas colunas largas. Já o câmbio apresenta engates razoavelmente macios.

Consumo –O modelo avaliado obteve um consumo médio de 7,8 km/l, rodando apenas na cidade, e abastecido com etanol.

Tecnologia – O Celta é montado sobre a veterana plataforma da primeira geração do Corsa nacional, datada de 1994. Em contrapartida, o motor 1,0L VHCE recebeu algumas evoluções durante os anos – a última em 2009. O hatch compacto não oferece ABS ou airbag sequer como opcional.

Conforto – No interior do Celta definitivamente não há abundância de espaço. A ausência de regulagem de altura do banco do motorista e do volante também não contribuem para uma boa acomodação. A suspensão, no entanto, é bem acertada e traz algum conforto. Já o isolamento acústico é quase inexistente e o barulho do motor invade sem cerimônias o habitáculo.

Habitabilidade – Os acessos ao interior do Celta são bons tanto para o banco dianteiro quanto traseiro. Por dentro, há práticos porta-objetos. O porta-malas de 260 litros é limitado, mas está na média do segmento.

Acabamento – Este quesito nunca foi o forte do Celta, até por se tratar de um modelo de entrada da marca. No entanto, nesta nova versão, a Chevrolet fez mudanças que conseguiram emprestar algum requinte ao popular. Lá estão novos volante, botões do sistema de ventilação, tecidos dos bancos, grafismos do quadro de instrumentos, entre outros. As mudanças foram bem-vindas.

Design – O facelift do Celta foi limitado demais. A dianteira com a nova linguagem de design da marca e a traseira com lanternas escurecidas não transmitem grande sensação de novidade, algo muito valorizado para o segmento. O modelo se atualizou, mas não é capaz de chamar grande atenção.

Custo/benefício – A versão mais completa do Celta, a LT com quatro portas, é oferecida por R$ 29.364. O valor está na média do segmento. Um pouco mais caro que o Fiat Uno Way 1,0L, que parte de R$ 29.030, e igualmente um pouco mais em conta que o Volkswagen Gol 1,0L, que sai de R$ 30.880. A lista de equipamento é similar entre os três.

Renault Sandeiro 2012

Desempenho – O motor 1,6L litro de 95 cv é um dos pontos altos do Sandero. A unidade de força garante arrancadas competentes e o motorista sente segurança na hora das ultrapassagens. Quem também merece elogios é o câmbio bem escalonado. 

Estabilidade – O Sandero é um carro equilibrado. Anda sempre “colado ao chão” e encara sem problemas curvas fechadas em alta velocidade. Nas retas e frenagens, o modelo também se mostra firme, com bom equilíbrio. A direção é precisa e rápida. 

Interatividade – A renovação do Sandero garantiu melhorias providenciais neste quesito. Os botões de vidros e trava elétricos, antes colocados na coluna central em posição não muito intuitiva, agora estão posicionados nas laterais das portas – um lugar muito mais usual. A coluna de direção também ganhou uma regulagem de altura. A caixa de câmbio com engates suaves e precisos é um ponto positivo. 

Consumo – Equipado com o motor 1,6L 8V, o Sandero tem média anunciada de 8 km/l na cidade e 11,9 km/l na estrada com etanol. 

Conforto – O Sandero é um projeto da romena Dacia – subsidiária da Renault naquele país – montado sobre a plataforma do Logan. Sua estrutura em monobloco, datada de 2005, é uma das mais modernas entre os compactos nacionais. Nesta reedição, o novo Sandero passa a ser equipado com um rádio mais moderno, dotado de entrada USB/iPod e conexão Bluetooth. O modelo oferece airbag duplo e freios com ABS como opcional na maioria das versões. 

Tecnologia – No interior do Sandero. espaço não falta. Até mesmo no banco traseiro é possível que três adultos contem com boa folga para pernas e cabeças. A posição “altinha” de dirigir também merece elogios. Nesta reformulação, o isolamento acústico – quase inexistente na versão anterior – foi melhorado, mas ainda não está 100% eficiente. Na hora de encarar a buraqueira dos grandes centros urbanos, a suspensão filtra relativamente bem as imperfeições, mas o sacolejo é inevitável. 

Habitabilidade – O acesso aos bancos dianteiros do Sandero é digno e só mesmo quem vai no banco de trás pode encontrar alguma dificuldade. Por dentro, há práticos porta-objetos. O porta-malas de 320 litros está na faixa do segmento. 

Acabamento – O Sandero 2012 ganhou novos detalhes cromados e tecidos para transmitir algum requinte. O painel também mudou e agora é construído com um material de melhor qualidade. Mesmo assim, o modelo segue abusando de plásticos rígidos e conta com acabamento simples. Fora isso, há pouquíssimas rebarbas aparentes e, de uma forma geral, as peças se encaixam com harmonia.

Design – O facelift do Sandero é essencial para manter seu visual “moderninho” e para que suas vendas não “esfriem”. Mesmo assim, por se tratar de uma reestilização de meia-vida, o modelo não se inova a ponto de ser reconhecido como um carro realmente novo e virar atração nas ruas. 

Custo/Benefício – A nova proposta da Renault é ter carros baratos. O Sandero não foge à regra e está com preço ainda mais em conta nesta nova versão em comparação com a antiga. Em qualquer configuração o hatch oferece uma lista de itens de conforto similar aos concorrentes com preços mais “camaradas”. 

Fonte: WebMotors

  • Texto:Marcelo Cosentino – Auto Press
  • Foto: Marcelo Cosentino – Carta Z Notícias

 

BMW E30 M3 com MOTOR V10!!!

BMW E30 M3 (1986–1992) com o mesmo motor V10 das BMW M5 e M6 atuais.

Etapas:

Final:

bmwe30

Novo Cerato, a cara do Honda City, mas custando muito menos!

cerato2

Dianteira segue a tendência dos sedãs médios orientais

A Kia Motors do Brasil anunciou que a nova geração do sedã médio Cerato (que também é chamado de Forte em muitos países) chegará às concessionárias da marca no próximo dia 22. O modelo é equipado com um motor 1.6 de 126 cv, com opção por câmbio manual ou automático. O preço inicial é de R$ 49.900. O equipamento de série inclui direção hidráulica, trio elétrico, airbag duplo, rádio com reprodutor de MP3, entrada para USB e iPod e comandos no volante, ar-condicionado manual, rodas de 15 polegadas e controle remoto com alarme para abertura e fechamento das portas.

cerato4Traseira lembra a nova geração dos Audi, e é claro, a do concorrente Honda City

Por R$ 52.900, o ‘New Cerato’ mantém o câmbio manual, mas ganha rodas de 16 polegadas, faróis de neblina, freio a disco nas quatro rodas com ABS, ar-condicionado digital e volante e alavanca de câmbio revestidos em couro. A versão top de linha adiciona câmbio automático a esse conjunto e custa R$ 57.900. A geração anterior anterior tinha preços entre R$ 47.900 e R$ 49.900.

ceratointeriorInterior é moderno e arrojado, mas mais uma vez, não nega sua semelhança com o seu rival City

FONTE: www.icarros.uol.com.br

Obs: a descrição das fotos é de autoria própria.

Chevrolet Astra 2010 – O mesmo de sempre!

0,,21421201-EX,00

Para os blogs mentirosos que dizem que a versão 2010 será a da Opel… que nada, será o mesmo designe só que um novo motor flex 2.0 de 140 cavalos e ar condicionado digital… A versão do Astra Opel já é utilizada pelo Vectra GT. Continuar lendo

Restauração – Quando vale apena?

Estava olhando uns carros antigos e me surgiram dúvidas sobre restauração, então de cara achei no site MeuCarroNovo uma matéria do colunista João Falcão com o título: “Restauração: Quando vale a pena?”. Achei interessante algumas dicas que ele colocou por isso coloco a disposição a matéria e o link do site.

Então segue abaixo as dicas da matéria postado por ele.

A pergunta que mais me fazem é como saber quando vale a pena restaurar um carro e quando não vale. A resposta não é tão simples assim, principalmente porque quem está restaurando geralmente usa a emoção mais que a razão. São muitos os pontos que devem ser levados em consideração na hora de adquirir um carro antigo, mas o principal ponto é que os antigos sofrem mais com a corrosão que os modelos atuais por um motivo muito simples: os tratamentos nas carrocerias não eram tão avançados e a espessura das chapas garantiam uma durabilidade razoável para a época. Continuar lendo

Nova Ferrari 458 Italia

A Ferrari divulgou, nesta terça-feira (28) as primeiras fotos oficiais da nova 458 Italia. Como um legítimo esportivo, a nova Ferrari 458 Italia exibe um visual bastante agressivo e moderno, além de contar com um motor V8 de 570cv de potência. Veja as fotos: Continuar lendo

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.